Manifesto do Cinema de Invenção

[Publicado por Jairo Ferreira, no ano de 2000, segunda edição do livro “Cinema de Invenção”]

I Cinema de Invenção é Cinema do Novo Aeon Todo cineinventor e toda cineinventora é uma estrela. Constelação cósmico/cômica da Errância.

II A primeira carta do Tarot é o mago: cinemagia. Big-Bang. Akasha. Quintessência. Pré-estréia: Precessão dos Equinócios.

III Cinema de Invenção é Tradição. O que está em cima é como o que está aqui. Lei de Thelema

IV Minha alegria é ver a sua alegria. Amor sob vontade. 418: ABRAHADABRA

V A anarquia é a prova dos nove. Cinevida: sonho. 555. Energia.

VI Cinemúsica da luz: Samadhi. O equilíbrio entre o significante e o significado. 666. Raio de luz.

VII Cinema do (G)rito. Cinema (Nô)made. Novas percepções no horizonte do (im)provável. AUM: OM

VIII A verdade digital a 24 quilates por segundo. Cinema parabolicamente visionário. Work in progress.

IX Cineanônimo Atípico. Inominado. Iluminado.

X Cinemastral. Tu não tens nenhum direito a não ser fazer o que quiseres. Tetragrammaton

XI Cinema é Amor. Cinema de Invenção Sagrada Diversão

AGRESTE, ou Agrupamento de Estudos Excêntricos, é um rincão virtual para intervenções e instalações de movimentos e pulsões marginais (Precarizadxs, Terroristas, Extrañxs, Messias, Negradas, etc.). No Blog da Zagaia, o periódico AGRESTE mantém uma coluna de traduções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *