Retirante – Poesia

Retirante

  Depois do tumulto, quando me vejo só com a noite Então é tempo de a terra vibrar e tudo à volta é luz e é sombra   Então meu coração já não espera. Descontrolado, rastejo no ar Choques violentos alimentam a quimera Lentamente gozo até chorar   Já não me escondo. E não me importo Estou alado e não quero pousar Não me espere, não fale alto Estarei comungando com os mortos   Nada mais suave, lento terremoto Vivo nos corpos corre o sangue louco Ouço as horas, são sinos histéricos Junto os ossos e agradeço o passeio   Adormeço.  

Nasci em São Paulo, a 11/1/1984. Moro em Santo André desde 2009. As atividades principais são a poesia (tenho um trabalho completo publicado no site www.megracko.blogspot.com) e a música (violão e voz). Componho algumas canções e às vezes me arrisco no instrumental. Ainda não gravei profissionalmente. Fotogtrafo às vezes por dinheiro, mas prefiro fotografar por prazer. Escrevo desde que sei. Curso o 3º ano de Letras na Fundação Santo André, onde tudo o que faço é contestar a concepção de “conhecimento” do mundo acadêmico, que no período corrente é bem mercadológica e de população sectária (isto por ignorar os valores fundamentais da vida (não generalizando, claro, mas quase)). Milito pela Arte, evitando sempre que possível a discussão teórica sobre o tema. Gosto da Arte existindo. Os maiores políticos da Terra são os artistas, num conceito bem amplo. É necessário combater os charlatões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *