O NOSSO APOIO À CHAPA “BERRO” PARA A COOPERATIVA DE TEATRO DE SÃO PAULO

O teatro de grupo de São Paulo  é em seu conjunto a representação artística que melhor conseguiu aliar criatividade estética e espírito combativo nos últimos 20 anos. Não à toa, possui a mais inspiradora política pública de cultura do Brasil – a Lei do Fomento ao Teatro, conquistada pela própria classe. Por essa razão a eleição para a Cooperativa de Teatro  toma uma dimensão simbólica de vulto, pois o que está em disputa é o próprio espírito combativo que alimenta esta arte. De um lado a chapa Acordes, que defende uma aproximação estratégica com o Partido dos Trabalhadores, e com o secretário Juca Ferreira. Do outro a chapa Berro, que defende a independência frente esta administração.

Nós da Zagaia apoiamos a chapa Berro (veja aqui). Primeiro por agregar artistas que respeitamos por sua independência, criatividade, combatividade e coerência. Segundo por acreditarmos que esta lógica pragmática de aproximação estratégica é nefasta para o campo artístico e mais amplamente para o campo das esquerdas. O movimento que gerou a divisão no teatro paulista foi a ocupação da Funarte pelo grupo que ficou conhecido como “Trabalhadores da Cultura”. Uma ação que, com seus erros e acertos, marcou época e fez com que o espírito radical que inspirou movimentos como o “Arte contra a barbárie” renascesse.

Para derrubar o marasmo da cultura no qual estamos mergulhados é necessária atitude. Para lutar é preciso coragem.  Artista que se preze é sempre independente. Aos amigos que defendem a chapa “Acordes” declaramos com carinho: torcemos pelo Berro por vocês. Torcemos porque é necessário recuperar a independência crítica. Porque é necessário lutar. Porque é necessário que os acordes sejam dissonantes, e porque quando o silêncio impera precisamos de um Berro!

Coletivo Zagaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *