Eu Sei De Preto, De Preto E De Preto

  Eu sei de preto, de tipos de preto. Eu sei de preto que é preto e não sabe. Eu sei de preto que não quer ser preto. Eu sei de preto que querer nem sabe.   Eu sei de preto que sabe que é preto. Eu sei de preto que é branco e não sabe. Eu sei de preto. Eu sei do ser preto. Eu sei de preto que diz que não sabe.   Eu sei de preto. Sim, eu sei de preto. Eu sei de branco que é preto e não sabe. Eu sei de preto, de preto e de preto. Eu sei de preto e sei de quem mais sabe.   Eu sei de gira: samba, jongo e umbanda Maracatu e congada e quimbanda…    

Minha Gente boa gente
Deix’eu me apresentar
Já que aqui trimensalmente
Vou lhes expor meu pensar

Sou Selinho Tambureco
A versador sou metido
Versejo sem repeteco
Repente, Coco, Partido

Lhes trarei do universo
Pra lhes prender a atenção
Estruturado em verso

Tudo que é inquietação
Do vento que arriba saia
À espetada da Zagaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *