Corrimão

[intérprete – Fabiana Cozza]   Nem acorda, vai embora chega o trem e passa a hora nervo à flor da pele no caminho a mala na mão, o seu destino ele e a multidão qual a estação? corre o tempo e abre a porta corrimão irmão simbora no olhar da moça, um carinho a cabeça baixa, o sorriso ela e a multidão o seu coração Só falta saltar da boca cerrada o juízo que perdeu senta na mesa do bar, condenando a miséria do mundo em que nasceu quem acode nessa hora? qual a oração agora? tão sozinho morto, quanto vivo tempo pra chorar o seu destino fica a multidão só na estação .  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *