Coisas do Emaranhadão

  Como é que pode meu Zeus? Meu bom Zeus como é que pode? Abandonar filhos teus Sob o poder do Bigode   Que é o próprio Cramunhão Cabra safado da peste Faz inferno do estadão Lá do norte do nordeste   Meu bom Genésio acode Coisa que não fez seu pai Dá um fim no velho bode Doutro jeito ele não sai   Que o danado morto caia Vazado pela zagaia  

Minha Gente boa gente
Deix’eu me apresentar
Já que aqui trimensalmente
Vou lhes expor meu pensar

Sou Selinho Tambureco
A versador sou metido
Versejo sem repeteco
Repente, Coco, Partido

Lhes trarei do universo
Pra lhes prender a atenção
Estruturado em verso

Tudo que é inquietação
Do vento que arriba saia
À espetada da Zagaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *