Amor ligeiro – Poesia

  Amor ligeiro   Sou um homem de tempo lento Sem pressa no amor, da vida dolente Que fazer se meu amor tem pressa?   Corro pra dizer em curto espaço O que o tempo não deixa Para os olhos e gestos   Amanhece ela está na penteadeira   Ligeira falas gestos sentir   Olho preguiçoso sua nudez decidida Sua tez sisuda de moça séria E rolo na cama em busca de sonhos   Amanheço Há flores e um bilhete: Bem tarde eu volto     Ando na praça em busca da palavra que falta ao verso outrora composto   Rê está ligeira em algum canto, decidida e eu perdido em letras e pensamentos   Minha busca confusa traz culpa A vida é OBJETIVIDADE mas espero um milagre   Quem sabe a palavra o verso, a harmonia… Mas a poesia é inútil Como inútil é a busca     O tempo custa a passar: A noite estaremos juntos buscando apressados o amor Escondido entre vírgulas e suspiros… No nosso amor ligeiro Re tem sede de vida Eu de vida sem pressa  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *