12 ANOS DOS CRIMES DE MAIO – É POSSÍVEL ESQUECER?

Para Vera Lucia Gonzaga, Mãe de Maio

 

Quando ouvi o seu silêncio

O horizonte tava escuro

Os passarinhos tavam mudos

E o riso tava morto

  Mais de 600 mortes. Corpos empilhados em hospitais.  Massacre. Vidas que desapareceram. Jovens mortos pelo crime de ser pobres.  

E as portas se fecharam

Sem festa, samba, seresta

As janelas não se abriram

Quando ouvi o seu silêncio

A história é conhecida. Tudo começou com um achaque da polícia. Sequestro de familiares do PCC, como era frequente. Só que desta vez veio resposta. O Partido do Crime mostrou seu poder: ataques aos servidores do aparato repressivo do Estado. E a polícia respondeu com mais um massacre de inocentes.  

Quando ouvi o seu silêncio

Muitos passos se perderam

Muitos peitos sem compasso

Serenos bateram sem vida

  Depois Estado e Crime fecharam acordo. Tudo voltou a ser como antes. Para quase todos. Mas não para as mães daqueles tantos mortos. 600 mortos. Doze anos sem resposta. Silêncio do judiciário. Silêncio do Governo. Da esquerda pra direita todos se calaram.  

Não ouve grito ou palavra

Só choro, gesto, gemido

Do vazio fez-se eco

Quando ouvi o seu silêncio

  Para as Mães que perderam os seus filhos não há dia das mães. Há Maio. Um maio que dura dozes anos. Para elas fizemos uma  música, um pequeno gesto, uma canção. Para ser cantada nas ruas, embaladas por nosso Cordão.  

MÃE DE MAIO

Eu já perdi a esperança, juventude

Eu já perdi minha luz, minha alegria

Resta o altar com o sorriso do meu guia

Meu menino tão suspeito pra vocês

 

Ele é meu anjo e eu rezo todo dia

Não é pra deus, nem pra santo, ave maria

É só pra ele trazer mais esperança

Dos pequenos renascerem na bonança

Eu já falei que não quero mais vingança

A guerra que eu quero é das almas dos meninos

O fogo que arda e incendeia o rico imundo

E ilumine com sua chama um novo mundo

Que em algazarra os guris assassinados

Possam voltar e cantar os chacinados

Que nosso sangue escreva nova história

E ocupe o esquecimento com memória

    Canções: Quando ouvi o seu silêncio – Selito SD / Thiago B. Mendonça Mãe de Maio – Everaldo F. Silva / Selito SD / Thiago B. Mendonça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *